Quem somos

O Instituto Tiê é uma organização que nasceu em 2012 com o objetivo de apoiar pessoas em seu desenvolvimento emocional. Com o passar dos anos, entendemos que nossa missão tem um tema específico: ajudar as pessoas a conviver.

Aprender a conviver é um dos pilares da educação segundo a Unesco, e nós percebemos que existe uma lacuna no processo de aprendizagem da grande maioria de nós quando o assunto é relacionamento humano.

Trabalhamos praticando e ensinando tecnologias de convivência, tais como: Comunicação Não Violenta, Mediação de Conflitos e Círculos Restaurativos. Existimos enquanto organização para contribuir com o aprimoramento das relações humanas, ajudando na compreensão dos conflitos como oportunidades de aprendizado e evolução conjunta, na construção de pontes e na sensibilização sobre o quanto ainda temos que avançar em termos de estruturas sociais que considerem as necessidades humanas em seus variados contextos, e as tenham como prioridade.

Sonhamos um mundo no qual todas as formas de opressão estrutural sejam erradicadas e em que a cultura do cuidado e da compaixão seja o norte de nossas relações pessoais e profissionais, em todas as esferas. Por isso, fazemos da não-violência o princípio norteador das nossas ações e provocamos outras pessoas e organizações a fazerem o mesmo.

Somos uma organização comprometida com a agenda 2030 da ONU

Entendemos que somos parte de uma transformação maior, por isso, buscamos estar comprometidas com medidas ousadas e transformadoras que são urgentemente necessárias para direcionar o mundo para um caminho sustentável e resiliente

Nossa atuação vai ao encontro com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, mais diretamente com:

Dentro da organização formalizamos uma política transparente e justa de pagamento. Cultivamos abertura para conversas importantes e buscamos continuamente oportunidades de formação e aprendizado para aprimorar nosso trabalho.

Oferecemos anualmente cursos gratuitos para organizações que geram impacto social e bolsas de estudos em todos os nossos cursos e atividades que são direcionadas para pessoas pertencentes a grupos minorizados.

O que guia nossas ações

Não-violência

Não acreditamos na violência como um meio de construir um mundo humano. Somos guiadas pelo desejo de não fazer mal a outros seres e de incentivar mais pessoas a fazerem o mesmo. O princípio da não-violência faz de nós uma organização antirracista, feminista, anticapacitista e a favor dos direitos LGBTI+.

Leveza

Percebemos que tocar o coração das pessoas é tão importante quanto ensinar algo a elas. Criamos ambientes de aprendizagem leves e divertidos.

Coerência

Buscamos sempre praticar o que ensinamos, a começar pela abertura em aprender.

Inclusão

Oferecemos bolsas de estudo em todas as atividades que oferecemos. Temos por princípio que a "descoberta progressiva do outro" só pode se dar em espaços diversos. Dessa maneira, através das bolsas, temos o prazer em receber em nossos encontros pessoas que são parte de grupos minorizados na sociedade e que não podem arcar com o investimento nos cursos.

Um pouco sobre nós

A equipe do Instituto Tiê é hoje formada por 4 mulheres. Temos o desejo que ela continue crescendo e que nosso grupo tenha cada vez mais diversidade em sua composição.

Carolina Nalon

Mediadora de conflitos especialista em Comunicação Não Violenta, fundadora do Instituto Tiê

Olá, pode me chamar de Carol. Desde que fundei o Instituto Tiê em 2012 me tornei uma entusiasta da empatia, da comunicação autêntica e do poder da não-violência para promover transformação social. Conto mais da minha trajetória com a CNV nas palestras que fiz para o TEDxTalkPedradoPendedo “Pra Início de Conversa” (2016) e para o TedxTalkArvoreGrande “Como demonstrar empatia em uma sociedade desigual” (2019).

Desde 2015 ofereço o curso Caminho da Comunicação Autêntica, no qual já recebi milhares de pessoas de todo o Brasil e alguns países do mundo. Foi esse curso que abriu as portas da Tiê para outros tantos projetos que hoje em dia fazemos. Os cursos que mais impactaram minha jornada profissional até hoje foram: Mediação de Conflitos pela Palas Athena, Coaching Ontológico pelo Território Appana e dezenas de cursos de Comunicação Não Violenta, entre eles o Intensive International Training do Center for Non Violent Communication.

CURIOSIDADES: sou bióloga de formação e, ao contrário do que muita gente pensa, acho que o que faço hoje em dia tem tudo a ver com biologia. Ficar perto da natureza é um bálsamo para minha alma, ela é o fenômeno visível e óbvio de que tudo está interconectado! Escuto música praticamente o dia todo, MPB é minha favorita e Milton Nascimento é tipo… Deus. Para quem gosta de signo: sou capricorniana. Mas o ascendente é em peixes (muitos dizem que é isso que me salva). Sou apaixonada por jogar futebol, mas hoje em dia não jogo muito (ligamentos do tornozelo mandam um alô!). Sou estudante de palhaçaria e apaixonada pela alquimia proporcionada por uma boa risada. Passo muitos momentos do meu dia tentando desvendar o que o Zig, meu cachorro, pensa. Casada com a Gabriela Borges, uma pessoa que diariamente me faz acreditar que vale abrir as portas do caos individual e viver uma vida em parceria.

Juliana Calderón

Atriz, facilitadora, palestrante e consultora especialista em Comunicação Não Violenta

Oi, tudo bem? Eu sou a Ju Calderón e vou te contar um pouquinho mais sobre mim, torcendo pra descobrir mais sobre você em breve também. Me formei em Comunicação Social com ênfase em Publicidade e Propaganda pela FAAP, e iniciei minha carreira na comunicação em grandes agências de publicidade como a W/Brasil (criação) e a Almap BBDO (RTV). Curiosa sobre os mistérios do mundo e sobre mim mesma, decidi me mudar para Londres, onde morei por 4 anos. Durante esse tempo, entre trabalhos, viagens e experiências das mais malucas, estudei Teatro nas escolas Central School of Speech and Drama e The London Centre for Theatre Studies e realizei um curso introdutório à Psicoterapia Existencial na New School of Psychotherapy & Counselling. (Ah, nessa época fiquei viciada nos livros do psicoterapeuta Irvin D. Yallom. Amo.) De volta a São Paulo intercalei trabalhos como atriz e consultora de comunicação para grandes empresas, estudei Dramaturgia pelo Sesi British Council, Coaching pela Sociedade Brasileira de Coaching, e passei a refletir cada vez mais sobre a importância da escuta, da empatia e do contato com a nossa vulnerabilidade para a construção de relações humanas mais saudáveis, colaborativas e sustentáveis dentro das organizações. Mas foi em 2015 que finalmente descobri Marshall Rosemberg e a Comunicação Não Violenta. Que bom que alguém tinha dedicado sua vida a facilitar a conexão entre as pessoas e criado inclusive uma metodologia de comunicação com esse propósito! Fiz vários cursos, incluindo o CCA (sei que sou suspeita pra falar, mas fortemente recomendo!), me apaixonei tanto pela prática quanto pela filosofia da Não Violência e, desde 2016, venho colaborando com o desenvolvimento e a realização de palestras e treinamentos através do Instituto Tiê, atendendo grandes instituições e organizações como Itaú, Emerald, Natura, Secretaria Municipal de Educação, Bradesco, Danone, Mercado Livre, entre outras.

CURIOSIDADES: muitas vezes as pessoas me dizem: “Que coisa, parece que eu já te conheço de algum lugar…” E isso acontece principalmente porque também sou atriz e locutora. Talvez você já tenha me visto e/ou ouvido no teatro, na TV, no rádio ou na internet, em comerciais publicitários, spots ou até em alguma novela… Será? Outra curiosidade é que também me meto a escrever peças de teatro e compor canções, e já tive duas bandas autorais, a Granata, em que cantava e tocava piano, e a Repentina, em que cantava e tocava baixo. Aliás, acredito que todo ser humano é artista por natureza, e colocar esse lado em prática é extremamente curativo. No mais, morei em um apartamento no centro de São Paulo por 3 anos mas no início da pandemia me mudei para uma casa ensolarada com amigos – e foi a melhor coisa que eu fiz. Estou isolada mas rodeada de afeto, plantas, gatos e passarinhos, e querendo investir cada vez mais nessa vida em comunidade, uma vida que equilibra bem minha necessidade de solitude com minhas necessidades de natureza, conexão e construção conjunta.

Juliana Portas

Doutora em fonoaudiologia, instrutora de Comunicação Não Violenta

Olá, eu sou a Juliana Portas, ou aqui na Tiê, a Ju Portas. Fonoaudióloga pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, fiz uma carreira acadêmica, com duas especializações, Mestrado e Doutorado em Ciências/Oncologia. Durante muitos anos trabalhei devolvendo a fala e a voz daqueles que tiveram essas habilidades alteradas pelo câncer.

Fui professora universitária e de pós graduação para fonoaudiólogos com o desenvolvimento profissional e co-orientando pesquisas científicas.

Há 10 anos trabalho mais intensamente com Comunicação, Voz e Expressividade de forma individual e no mundo corporativo, com treinamentos sobre Comunicação, Empatia e Escuta. Sou uma das consultoras da Artinsight – Desenvolvimento Humano.

Como treinadora de Comunicação Não Violenta já atendi empresas como Bradesco, John Deere, Factory Br, Alira, Escale, Hospital Sirio Libanes, Danone, Elo.

Há três anos iniciei também como fonoaudióloga, um olhar para a população Transgênero, pensando em auxiliar na expressão que reflita o senso individual de gênero. Sou colaboradora voluntária do Núcleo Transgênero da Unifesp. 

Preocupada em trazer um olhar empático e uma escuta transformadora a todos. Busco vozes autênticas que possam refletir a verdadeira complexidade e a beleza do ser humano.

CURIOSIDADES: sou mãe dessa coisinha mais maravilhosa que chama Lara, e veio por ela meu interesse genuíno na CNV. Por acreditar que outra forma de educar é possível que a Comunicação baseada na empatia e autenticidade é a chave para nos reconectarmos com nossa essência enquanto seres humanos. E é também da Lara que vem as mais difíceis e melhores perguntas, ela que todo dia me coloca na parede para exercitar minha escuta e ser sempre coerente com aquilo que falo, penso e faço.

Dani Fafer

Especialização constante em atendimento humanizado, entendedora de números e criadora de processos financeiros com leveza.

Na mistura entre paixão por pessoas e facilidade com números e processos é onde venho desenvolvendo minha trajetória profissional. Sou graduada em turismo + administração de empresas + pós-graduada na área executiva pela Fundação Getúlio Vargas. Tenho mais de 16 anos de atuação no mercado de trabalho. Carrego na bagagem boas vivências profissionais e pessoais, incluindo experiência internacional e trabalho em áreas estratégicas em multinacionais. Possuo experiências em áreas de consultoria, treinamento e coordenação financeira, área administrativa, desenvolvimento humano organizacional, setor de qualidade, atendimento a clientes (e + algumas outras coisinhas). Sou entusiasta de CNV e na aplicabilidade dela nas minhas relações pessoais e profissionais. Fundei a Soul Financeiro, empresa que atua em parceria com o Instituto Tiê. Através dessa parceria, me integro à equipe prestando serviço nas demandas financeiras, de suporte e atendimento a clientes e potenciais clientes.

CURIOSIDADES: Trazendo um pouquinho mais sobre meu mundo particular, venho de uma ancestralidade indígena, africana e portuguesa que é mais perto de mim do que via nos livros de história. Amo aprender com a diversidade cultural e os saberes ancestrais que habitam aqui dentro e no mundo a minha volta.

Tenho uma alma viajante, e reencontro meu suspiro na natureza. Amo me conectar com lugares, pessoas, conversas, risadas, Luna e Jabuticaba (minha filha e sobrinha canina), cervejas, vinhos, novas experiências e apreciar o céu e a lua. Quando tudo isso se mistura, melhor ainda.

Tenho uma rede de balanço no lugar do sofá no meio da sala do meu apartamento e não tenho tv em casa. Opto por passar um tempo ali recebendo amigos, contemplando a vida, escrevendo e lendo.
Ultimamente estou tentando construir minha própria urban jungle e entre trancos e barrancos ela tá ganhando vida (iêêê). Me aventuro na culinária vegetariana, (desde que parei de comer carne) e na ayurvédica (desde que fiz um retiro na Índia). E é assim que me encontro no momento (sem querer me rotular).

Recentemente fiz uma viagem de volta ao mundo que me transformou absurdamente. Estou rabiscando um projeto para falar um pouco dessa (e outras) experiências. Esse projeto se chama “Mundadoria” – um compartilhamento a partir dos pilares: Mudança + Mundo + Curadoria, para mostrar reflexões entre mudanças no mundo interno e seus impactos no mundo externo a partir do movimento nosso de cada dia.